A Suspeita

Para quem é amante do cinema e estava esperando o momento certo para voltar às salas da sétima arte, queremos dar uma dica imperdível: A Suspeita! Gloria Pires - sim, ela! - e o diretor Pedro Peregrino, nos apresentam esse filme que, além da atuação, Gloria assina a sua produção cinematográfica. O filme conta a história de Lúcia, personagem de Gloria Pires, que é uma excelente comissária da Polícia Civil do Rio de Janeiro, mas que em meio a uma investigação envolvendo um esquema de corrupção policial, descobre...

Pela bancada do cocar!

Em Abril desse ano, durante o Acampamento Terra Livre (ATL), mulheres indígenas fizeram história ao lançar a proposta “Aldear a Política”, com a “Bancada do Cocar” para fazer frente aos lobistas da mineração, da grilagem e à bancada ruralista. Ou seja, para travar a guerra que ocorre em territórios também no espaço político-institucional diante dos que trabalham cotidianamente pela destruição da Terra e, em consequência, de toda a vida presente nela. Segundo Sonia Guajajara, essa é...

Faz suco, faz plástico

Você sabia que a laranja é rica em fibra, vitamina A e vitamina C. Consumindo uma laranja por dia ou 150ml do seu suco, você ingere propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, fora que essa fruta ajuda a reduzir o colesterol ruim e fortalece o sistema imunológico. Ah! O suco de laranja é delicioso e vai bem em qualquer hora do dia! Mas para além da saúde e do sabor que essa fruta carrega, ela também serviu de...

A literatura como campo de transformação social

A literatura é um direito humano e, como tal, espaço possibilitar de reflexões Se já falamos aqui da raiva como um sentimento capaz de mobilizar tensões que propiciam coalizões para transformações profundas na sociedade, quais outras ferramentas poderiam ser utilizadas para fortalecer esses processos? O intelectual Antonio Candido defendia a literatura como um direito humano. Primeiro,...

Os usos da raiva para resistir!

Em tempos de tanto ódio é comum ver que as pessoas comprometidas com uma visão de mundo transformadora e igualitária reivindicando o amor. A intelectual bell hooks fez formulações fundamentais em torno do amor e a ideia é que falemos mais sobre isso em outro texto. Mas aqui, hoje, e também mobilizando formulações de bell hooks, eu pretendo falar sobre a raiva. Diferente do que podemos imaginar, a raiva não é o antônimo ou o par antagônico do amor....

Meu corpo é um quilombo!

O sorriso, as manifestações culturais, a produção epistêmica, a reivindicação da negritude são formas de ser e existir negro que remetem à resistência de Ganga Zumba, Zumbi e Dandara.   Muitas foram as vezes que vi pessoas questionando a resistência construída historicamente pelas populações negra e indígena. Gente que acha que a resistência só acontece obedecendo a um modelo, em geral bem ocidental: aquela...

Indígena, ancestral e feminina: a arte do Rio Negro que é patrimônio do Brasil

Encerrando o nosso Abril Indígena, no último dia de abril, a Bemglô terá a honra de acolher o evento “Indígena, ancestral e feminina: a arte do Rio Negro que é patrimônio do Brasil”, um evento que vai promover conhecimento à arte dos povos indígenas do Rio Negro. O evento terá uma roda de conversa com a participação de importantes nomes, como: André Baniwa é Vice-Presidente da Organização Indígena da Bacia do Içana (Oibi), liderança do povo Baniwa, empreendedor social e...

Virá que eu vi! Brasil, Terra Indígena

Quando pequena, acho que como a maioria de nós, me lembro de sempre voltar para casa no dia 19 de abril com um "cocar" de cartolina e pinturas no rosto. Um dia intensamente lúdico e absurdamente acrítico, em que aprendíamos uma história sobre "índios" (sic) que "viveram" no Brasil e que trocaram presentes com os "viajantes" portugueses que acabaram nessas terras por um erro de bom planejamento de viagem. As professoras nos ensinavam dancinhas, "jeitos de falar" dos "índios" (sic), reforçando o que...

Influenciadoras indigenas que você PRECISA conhecer!

Em pleno Abril Indígena, hoje vou apresentar para vocês três influenciadores que estão quebrando preconceitos e estereótipos através das redes sociais.   Maíra Tatuyo é uma jovem de 22 anos que viralizou na rede de vídeo ao lado, mostrando a sua cultura e a rotina da sua comunidade, situada à margem do Rio Negro, em Manaus. Ela já ultrapassou a marca de seis milhões de...

Macunaíma 2022

A Fundação Nacional do Índio (Funai) apresenta protagonismo importante na Campanha Abril Indígena de 2022, ano em que o Brasil celebra o Bicentenário da Independência. Atenta aos preceitos constitucionais de respeito aos costumes e tradições de cada etnia, contribuindo para a autonomia e independência das comunidades, durante todo o mês de abril, está sendo publicada uma série de reportagens especiais nos canais oficiais da Funai, dando protagonismo ao trabalho e a vontade de indígenas que...

Huni Kuin – Os Últimos Guardiões

Huni Kuin - Os Últimos Guardiões, é o resultado da imersão do fotógrafo Danilo Arenas em parceria com os Pajés Samē e Bainawa, na aldeia Huni Kuin, no Rio Envira, Acre. A tribo Huni Kuin vive às margens do rio Envira, no Acre. Eles vem lutando contra o desmatamento - uma luta que vai além do território, mas também em nome da sua espiritualidade ancestral. Same Putumi é a pajé, artesã, presidenta do Instituto Inhandepa e uma das maiores lideranças indígenas da Amazônia. Começou a aprender tudo bem cedo, ao 7...

O cordel das mulheres

Ao contrário do que muita gente possa pensar, o cordel não nasceu no Nordeste do Brasil, mas sim em Portugal, nos séculos 12 e 13, por intermédio dos trovadores medievais; embora o estilo, de certa maneira, já existia no período dos povos greco-romanos, dos fenícios, cartagineses e saxões. Naquela época, em Portugal e na maioria dos países, e ainda por muito tempo depois, a população não era letrada, e o papel dos trovadores era cantar poemas que relatam histórias que perpetuavam a tradição...

Um 08 de março para se levantar contra as guerras

Não há saídas e construções positivas enquanto mulheres sejam vítimas de atrocidades. O que era um dia, se tornou um mês. Hoje, falamos que março é mês das mulheres. Mesmo que sejamos nós as responsáveis pelo cuidado e trabalhos reprodutivos no mundo, força central para a sustentação sistêmica, para a manutenção da força de trabalho e, portanto, deveríamos ter a igualdade de reconhecimento todos os dias. A data se...

Abelha não faz mal, faz mel

Quando fiquei sabendo que na Bemglô Oscar Freire seriam morada de duas casas de abelhas, não deu outra: lembrei da vez que atuei, modéstia à parte muito bem pra uma criança de 5 anos, como abelha no teatro da escola. A peça tinha a intenção de estimular a preservação da natureza. Veja bem, há 20 anos atrás a gente já discutia o “deadline” no pescoço quanto ao meio ambiente. Fato é que deu certo - por ficar ali vestida de abelha parada por 20 minutos, acabei gostando desses...

Um presente de luta e um futuro possível com as mulheres

Ao pensarmos em futuros possíveis, me vem a ideia primeira de que as possibilidades de futuro da humanidade só podem ser imaginadas se e com a participação das mulheres. E por que isso é importante? Não apenas porque somos 52% da população brasileira, mas porque se queremos construir horizontes e futuros de harmonia, equilíbrio e justiça, precisamos que todos e todas contribuam em igualdade. E, se pensarmos na situação do nosso país, o cenário é preocupante em relação a essa...

100 ANOS DA SEMANA DE ARTE MODERNA

Há 100 anos, entre os dias 11 e 18 de fevereiro de 1922, São Paulo foi palco de uma série de acontecimentos culturais que reverberam até hoje. A Semana de Arte Moderna de 1922 foi o marco do movimento modernista no Brasil. E teve como seus principais protagonistas Oswald e Mário de Andrade, na literatura; Víctor Brecheret, na escultura; e Di Cavalcanti e Anita Malfatti, na pintura. Aliás, ela foi responsável, anos antes, pela primeira exposição modernista brasileira, em 1917. Suas obras, influenciada pelo cubismo,...

Como pensar em futuros possíveis quando a barriga grita a fome?

A barriga tem que estar cheia para que possamos prospectar e esperançar o amanhã.   Ao buscar fixar uma grade, ou melhor, um itinerário reflexivo sobre futuros possíveis nessa coluna, já logo queria falar de propostas outras e diferentes, proposituras um tanto subversivas diante do modelo de sociedade em que vivemos, considerado inescapável. Mas percebi que antes de qualquer proposta, seria importante articular algumas premissas. ...

O que é, o que é: a gente sabe que é importante, mas sempre deixamos pra depois por falta de tempo? Substitua a falta de tempo por qualquer outro motivo. Digo isso por mim mesma, fiquei uns anos parada, nunca tinha tempo pra me dedicar a qualquer tipo de atividade física. Mas fato é que quando os exercícios físicos entram de vez na nossa rotina a vida melhora. A falta de tempo, a falta de grana e até mesmo aquela...

Dicas Gloriosas de Verão

Salve Glorioses!   Cá estamos nós começando mais um verão, essa estação que já foi considerada a melhor época do ano, aguardada ansiosamente. Mas a cada ano, estamos sentindo as temperaturas aumentando, não é?!  Além do que, a pandemia ainda não acabou, precisamos continuar com o uso de máscaras, álcool gel e evitar aglomerações, algo difícil quando se pensa naquela praia deliciosa. Evitar os horários de pico pode ajudar. Cuidar de si e do outro é fundamental para a gente sair...

Dia desses, tava lendo um livro do Luiz Antonio Simas e me veio uma de suas crônicas à cabeça quando comecei a escrever esse texto. A crônica se chama "A morada do rei dos índios”, do livro Pedrinhas miudinhas. Bom, essa crônica fala de como o povo da curimba vê a natureza. O rio é um Orixá, o vento também. A natureza guarda mistérios que devem ser respeitados, desde o mar - em sua imensidão - às pedrinhas...