Mais uma data comemorativa que a gente não usa pra comemorar: Hoje vamos falar do Dia Interamericano da Qualidade do Ar
Atitude Bemglô

Mais uma data comemorativa que a gente não usa pra comemorar: Hoje vamos falar do Dia Interamericano da Qualidade do Ar

Mais uma data comemorativa que a gente não usa pra comemorar: Hoje vamos falar do Dia Interamericano da Qualidade do Ar

Bom, geralmente a gente fala de coisas boas na Atitude Bemglô, porque é importante alimentar a esperança no dia a dia. Mas hoje, em especial, não vamos fazer isso. Hoje chamo você aqui pra gente se puxar a orelha.

Vamos começar a falar que 9 a cada 10 pessoas no mundo respiram um ar poluído. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), 92% da população respira um ar cuja qualidade é inferior à recomendada. Mais ou menos 100 milhões de pessoas em cidades latino-americanas respiram um ar que não chega nem perto dos padrões estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Dados que chovem no molhado pra dizer que a maior parte das pessoas respiram um ar – vamos dizer – precário.

“Ah, mas faz muito tempo que estão prevendo o fim do mundo e o fim do mundo não chega.”

Verdade! O fim do mundo não chegou ainda, mas o fim da nossa saúde sim. A agência sanitária da ONU explica que partículas fininhas de poluição penetram profundamente nos nossos pulmões e no sistema cardiovascular, causando enfim, doenças que podem gerar a morte: derrames cerebrais, ataques cardíacos, obstruções pulmonares e infecções respiratórias, como pneumonia. Nas cidades, algumas das principais fontes de contaminação do ar estão atividades industriais, a geração de energia e veículos. Segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, as duas principais fontes de poluentes são as indústrias e os veículos.

E ai? O que fazer? As ações individuais podem ajudar?

A gente vê sempre essa discussão: se as ações individuais fazem a diferença ou não. Nosso posicionamento quanto Bemglô, é que nossas ações individuais quando feitas em rede, podem causar sim uma diminuição de impacto no meio ambiente. Se nós não pensarmos assim, desistimos de vez do Planeta (e nós gostamos de viver). Mas só as nossas ações individuais, de fato, não vão melhorar o ar ou acabar com a poluição dos rios e com o desmatamento. 

Cadê o calendário, um cronograma para execução dos próximos passos para melhoria dos padrões nacionais de qualidade do ar, assim como punição incisiva para quem não cumprir? Cobremos isso! É nosso papel como cidadãos fortalecer e apoiar a ciência. São cientistas que estudam e nos dão saídas viáveis para esses e outros problemas. Sem eles – os cientistas – nada feito! Cobrar políticas rígidas contra quem infringir leis ambientais não é bobeira. Atentar a quem está do nosso lado também é importante. Projetos e pessoas que lutam por essas melhorias precisam do nosso apoio e cabe a nós acharmos a melhor maneira de fazê-lo.

Desistir não é opção, nos educar sim!

Insistir nas pessoas e num futuro digno para todos os seres. Quando trabalhamos em rede, podemos sim mudar muitas coisas. Não desistir das ações individuais e trazer pra nossa realidade ações coletivas. Vamos juntos! A Bemglô te convida pra mais essa jornada. É pro bem de TODES nós!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.