Nzambi Matee: toda vez que uma mulher dá um passo, o mundo sai do lugar
Atitude Bemglô

Nzambi Matee: toda vez que uma mulher dá um passo, o mundo sai do lugar

Nzambi Matee: toda vez que uma mulher dá um passo, o mundo sai do lugar

Não é novidade para ninguém que a cada dia o planeta está cada vez mais abarrotado de plástico. Segundo a WWF, 8 milhões de toneladas de plásticos entram no oceano todos os anos. Atualmente, 90% das aves marinhas possuem fragmentos de plásticos no estômago. Não muito distante, em 2050, teremos mais plásticos que peixes nos oceanos. A Beegreen afirma que no ano de 2015, mais de 381 milhões de toneladas de produtos plásticos foram produzidos em todo mundo, e, não surpreendendo ninguém, apenas 19,5% foi reciclado. O restante, 25,5% foi incinerado e 55% descartado. Mais da metade dessa produção foi descartada.

E mais uma vez lembramos: não há “jogar fora”.

A expressão “escorregar na banana”, em muitos lugares quer dizer cair em uma armadilha, e esse é o ponto: o plástico não se decompõe como uma casca de banana, por exemplo. Ele demora cerca de 400 anos para entrar em decomposição. Entrar! A casca de banana se decompõe em 3 ou 4 semanas. Já caímos nessa armadilha há tempos!

Mas a Atitude Bemglô não quer falar apenas de notícias sombrias, aqui nós olhamos em direção às soluções. Na rede do bem que pessoas ao redor do mundo vem tecendo e trilhando. E é por isso que vamos falar da engenheira de materiais e empresária, a queniana Nzambi Matee! Nzambi fundou a empresa Gjenge Makers porque estava cansada de apenas observar os garis recolhendo os lixo de sua cidade, e desenvolveu uma estratégia inovadora que transforma o lixo plástico em materiais de construção. Os tijolos criados pela engenheira, são usados para pavimentação e são 7 vezes mais resistentes comparado aos de concreto. Considerada pioneira, ela veio para abrir esse caminho.

Para explicar melhor a produção desses materiais de construção, vamos falar de nomes não muito convencionais: o polietileno e o polipropileno. Depois de várias pesquisas, Nzambi encontrou nesses materiais, importantes insumos na produção desses tijolos. Em suma, esses materiais são usados em bandejas, banheiras infantis, brinquedos, assentos sanitários, tampas de garrafa, embalagens industriais e agrícolas, embalagens de produtos farmacêuticos e hospitalares, mangueiras de jardim,  por aí vai. E além de estarem totalmente presentes nos nossos dias, são facilmente descartados – a armadilha aqui de novo.

A empresa Gjenge Makers, em parceria com diferentes fabricantes de embalagens plásticas do Quênia, junto do trabalho dos coletores de materiais recicláveis informais, produz tijolos, pavimentos ecológicos feitos de compostos plásticos e areia reciclada. Esses coletores de materiais recicláveis – maioria mulheres e jovens – têm na empresa de Nzambi, uma fonte de renda estável.

Nzambi Matee não só criou a fórmula dos tijolos, mas também desenvolveu o maquinário hidráulico da sua fábrica. Já atingiu a capacidade de produzir até 1.500 tijolos por dia. Desde 2018, ano em que a produção começou, a empresa já reciclou mais de 20 toneladas de plástico. O plano da empresária é triplicar a sua produção e levar essa solução para mais países do continente africano.

No ano passado, ganhou o prêmio Jovem Campeã da Terra de 2020, para a África. O reconhecimento é feito pelo Programa Ambiental das Nações Unidas.

Cada dia que passa nós somos soterrados de péssimas notícias – assim como o planeta está sendo soterrado de plástico. Mas são por pessoas como Nzambi Matee que nossa esperança se renova. São por essas mulheres que todos os dias levantam e fazem o mundo caminhar sobre um solo mais firme, nos livrando das nossas próprias armadilhas – não sobre uma terra invadida pelo plástico – mas um chão calçado pela revolução ambiental. Toda vez que uma mulher dá um passo, o mundo sai do lugar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione sua moeda
EUREuro
Abrir Chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos te ajudar?