Criança Ideal x Criança Real- Adoção Tardia
Quarta Gloriosa

Criança Ideal x Criança Real- Adoção Tardia

Criança Ideal x Criança Real- Adoção Tardia

A adoção vem para preencher o enorme vazio existente por parte de quem não pode ter filhos biológicos e pretende adotar, mas também por todos os que foram rejeitados pelos pais biológicos e aguardam serem os eleitos de uma família. Acontece que a grande maioria dos pretendentes ainda tem a ideia de que a criança ideal não deve ter mais de três anos de idade, por ser ainda neutra como um papel em branco.

Esse pensamento tenta simplificar algo que não é tão simples, primeiro porque a perfeição não existe: Somos todos imperfeitos em construção. Segundo porque, mesmo sendo um bebê, essa criança é real e tudo o que já aconteceu com ela, o que ela já viveu, faz parte do que ela é. Por isso, a adoção tardia é muito mais difícil de acontecer, pois traz o seguinte questionamento: O que significa adotar uma criança que já fala e pensa, uma criança mais velha, para conviver com uma família já estabelecida?

Adoção tardia e a Subversão da Lógica

O Dia Nacional da Adoção foi criado em 25 de maio de 1996. Essa data reforça a importância desse ato de amor e enaltece os significados que encontramos no dicionário para definir “adotar”: escolher, legitimar, tomar por filho.

Quando tal encontro acontece, traz uma nova possibilidade de futuro para as vidas das pessoas envolvidas: Do lado da criança, a sensação de pertencimento, sendo amada e cuidada. Por parte dos pais e/ou mães, a realização de um sonho, encontrando quem possa ser o receptor de todo o amor do mundo.

A decisão de amar incondicionalmente alguém sem laços biológicos, além de muita responsabilidade, precisa desse amor como alicerce. Claro que as relações, seja entre pais e filhos, entre amigos ou um casal, leva tempo. Mas o amor tem a incrível capacidade de evoluir sempre!

De acordo com Christian Heinlik, vice-presidente do Grupo de Apoio à Adoção de São Paulo (GAASP) e pai de Pedro Vinícius e Gustavo – adotados aos oito e nove anos, a grande questão com a aoção tardia é: “O que essa criança vai trazer de bagagem? Sendo que, na verdade, 99,9% dos problemas que podem acontecer vêm da cabeça do adulto”, diz ele.

Vejam que bacana esse site que trabalha em prol da adoção tardia: www.adocaotardia.com . Os vídeos de Jaime e Fabiana, e de Luciana e Suzi trazem histórias que além de emocionar, esclarecem muitas dúvidas comuns para quem pretende adotar, desmistificando os problemas da adoção tardia.

Subverter a lógica comum pode ser o agente de crescimento e fortalecimento de laços afetivos, que tanto nos ajudam pela vida afora.

Parabéns à todas as famílias que foram criadas pelo amor e que aprenderam a superar as adversidades, florescendo no núcleo familiar!

No próximo mês, vamos falar de laços afetivos. Até lá!

Beijos,

 

 

 

 

Brincos Patuá Bemglô
Brincos Patuá Bemglô

Comprar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos te ajudar?