Bordado espontâneo: Grupo Matizes Dumond
Atitude Bemglô

Bordado espontâneo: Grupo Matizes Dumond

Bordado espontâneo: Grupo Matizes Dumond

O Grupo Matizes Dumond é uma família de Pirapora, interior de Minas Gerais, que há mais de 30 anos borda histórias de vida e consolidou-se como um importante grupo artístico que trabalha o bordado espontâneo. Nesse período, foram mais de 15 os prêmios e reconhecimentos, 1 instituto cultural fundado e além dele diversos projetos de inclusão social e de responsabilidade socioambiental por meio da arte. Uma história de sucesso que começou com os bordados de família e extrapolou dos enxovais para as galerias de arte, ilustrações de livros e até os palcos.

Os cinco irmãos que formam a família-artista têm na mãe o pontapé inicial para essa paixão pelas linhas: “Nossos sonhos de criar e fazer arte com liberdade brotaram cedo como o dia, envoltos em meadas e novelos coloridos de mamãe e nos “almanaques” de papai. Brinquedos feitos com sementes completaram nossos folguedos e desafios na infância. Desde cedo aprendemos a construir nossas primeiras formas com agulha e linha brincando e observando a mãe artista, que nos instigou o olhar e a escutar com sensibilidade, e isso nos permitiu conviver de um jeito especial entre nós, entre rios, com a natureza e com o outro.”

O Bordado Espontâneo

A família mescla o bordado com as artes plásticas, área de formação do irmão Demóstenes. E a genialidade em levar as linhas para diversas plataformas deu-se apenas pela liberdade com que os irmãos aprenderam a lidar e sentir o trabalho manual. Eles chamam o que fazem de “bordado livre e espontâneo”, pois quebram padrões, misturam tecidos, traçados e técnicas. E inspirados na natureza criam a sua própria forma de fazer: uma técnica diversa como a cultura brasileira.

“Neste movimento de expandir e criar acrescentamos outras características ao bordado, que hoje se atreve, arrisca de forma lúdica. Das peças utilitárias partiu com ousadia e inovação para as primeiras ilustrações de livros e em forma de telas para ocupar o espaço das artes visuais.”

A ousaria, aliada à criatividade e amor pelo que se faz, deu ao grupo reconhecimento. Suas criações levaram as linhas para grandes galerias de arte, dentro e fora do país. Até mesmo em um pequeno país como a Lituânia chegaram os bordados da família Diniz Dumond, com centenas de peças na Bienal de Arte de Kaunas em 2007. Das galerias, os livros foram a próxima parada: Jorge Amado, Ziraldo e Manoel de Barros foram alguns dos autores contemplados. Além das próprias irmãs ngela e Sávia Dumont que tiveram suas obras publicadas.

O impacto do bordado

A mensagem que fica do trabalho do grupo é a paixão pelo feito a mão, a dedicação pela arte, e o poder transformador do bordado. As linhas como forma de arte mais do que simples costura, como linguagem e expressão, como resgate às técnicas ancestrais e à memória cultural. Patrícia Rebello poetiza a família: “Em certo ponto do Rio São Francisco, próximo a Pirapora, em Minas Gerais, fala-se com as mãos, anota-se com os olhos e vive-se na ponta dos dedos. Vive-se também no tempo do rio, fala-se no tempo do olhar; e canta-se, muito, porque música é a linguagem dos bordados da família Diniz Dumont.”

Assim como o bordado extrapolou os enxovais para as artes, em 2004 extrapolou as artes e foi para os projetos sociais com a fundação do Instituto de Promoção Cultural Antônia Diniz Dumond, o Icad. Em um antigo armazém, o espaço tornou-se ponto de encontro para compartilhar ideias e ações voltadas para a cultura, educação, saúde e meio ambiente.O Instituto realiza oficinas de bordado, projeto de contação de histórias, apresentações culturais e atividades que pautam-se nos pilares da educação e sensibilidade e valorização social e cultural.

Através do bordado, também promover o empreendedorismo e a geração de renda também.
Já foram capacitadas mais de 14.000 bordadeiras em todo Brasil, e hoje trabalham em torno de 185 bordadeiras em Pirapora e Buritizeiro, MG.

O que começou como uma paixão de família e ensinamentos de mãe, tornou-se um berço de talentos e transformação social: “Lugar onde a comunidade de Pirapora, Buritizeiro e municípios vizinhos pode se expressar, criar e conviver com criatividade.”

TransBordando (2007) – Documentário que retrata a vida e a obra da família de bordadeiras Diniz Dumont.

 

 

 

COLAR CORAÇÃO BORDADO À MÃO
COLAR CORAÇÃO BORDADO À MÃO

Comprar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos te ajudar?