A vida secreta das árvores e o que podemos aprender com elaS
Atitude Bemglô

A vida secreta das árvores e o que podemos aprender com elaS

A vida secreta das árvores e o que podemos aprender com elaS

Meu primeiro contato com o Dia da Árvore foi na escolinha, ainda no período da alfabetização. Sabe aquelas atividades em que a professora pede para crianças escreverem um textinho explicando a importância das árvores? Depois todo mundo se junta para grudar bolinhas de papel crepom formando um ipê-amarelo. Foi numa dessas atividades que fiquei admirada como uma semente pequena se transforma em algo tão grande, com tantas funções e que precisa de tanta coisa para existir.

Após o Dia da Árvore, vem a primavera: a estação que é conhecida pelo período de início de floração da vegetação em muitos lugares do planeta. No Brasil, as estações não são tão bem definidas, então cada espécie tem a aurora de floração em tempos diferentes. Por exemplo, o ipê floresce no inverno, colorindo a paisagem na época de maior seca do cerrado.

Pensei em falar que “sem as árvores não há vida”, assim como um texto de uma criança recém alfabetizada. Entretanto, vou escrever sobre sua existência saindo um pouco do antropocentrismo nosso de cada dia, mas dela — da árvore — e o que podemos aprender com ela.

Com elaS.

Para ajudar nessa questão, recorri ao livro “A Vida Secreta das Árvores”, que traz questionamentos como: “Por que as árvores são seres tão sociais?”. Uma árvore sozinha está exposta a qualquer mazela, mas um conjunto de árvores formam um bosque, uma floresta. A floresta, por exemplo, consegue modificar a temperatura, a umidade do ar, através do ecossistema que criou por meio do trabalho em conjunto com outras árvores. Compartilham entre si nutrientes, protegem seus brotos, retém água e tudo isso juntas. É sabido entre elas que uma andorinha só não faz primavera. Se cada uma cuidasse apenas de si, não resistiriam.

Mais ou menos 14% das 60 mil espécies de árvores catalogadas no mundo se encontram no Brasil. Somos o país com maior biodiversidade de árvores da Terra. Retribuímos essa honra com mais de 2 mil espécies de árvores nativas em extinção. Veja bem, somos imediatistas, individualistas. Viver em coletivo é cafona. Compramos coisas, usamos e jogamos fora. Nós não sentimos tanto quando alguém que não nos é útil morre, por exemplo. Apesar disso, para a sociedade das árvores quando uma espécie é ameaçada de extinção, é como se estivessem perdendo um órgão. Entende? Trabalhamos numa lógica diferente, focados no enriquecimento de uma parcela da humanidade (olha o antropocentrismo ai) e no empobrecimento do meio ambiente.

As árvores trazem a Primavera nos Dentes.

“E no centro da própria engrenagem inventa a contra mola que resiste.”

Assim como cantavam Secos e Molhados, se referindo ao tempo da ditadura militar — época de retirada de direitos, mortes, falta de liberdade — sempre haverá a luta pela vida. Essa luta se faz junto de outros indivíduos, compartilhando e protegendo uns aos outros. As árvores sabem disso há muito tempo.

Não estou falando para que normalize um ministro descendo a motosserra em florestas, já que elas vão dar o seu jeito de resistir a falta de coletividade humana. Jamais! Falo num tom de aprender a conviver em sociedade como uma árvore. Resgatar algo que perdemos quando ousamos pensar que as outras formas de vida existem para serem úteis a nós. Entretanto, deixamos os assuntos mercantis para quem entende disso. Hoje quero aprender a viver e lutar como uma árvore.

Vários ipês de papel crepom vão florescer pelas mãos pequeninas de várias crianças hoje em suas escolas. Várias redações falando da importância da árvore para o planeta também nascerão pelas mesmas mãos pequeninas. Quem sabe a primavera do pensamento também floresça através dessas crianças?

São votos para o futuro. Quem sabe rola!

 

(Ah! Vale a pena ler o livro “A Vida Secreta das Árvores” para conhecer melhor sobre como elas se organizam)

2 thoughts on “A vida secreta das árvores e o que podemos aprender com elaS

  1. Jorge Moreira Maciel says:

    Oi Déborah “ Tudo Bem” Maciel Fiquei feliz com sua percepção sobre Árvores, sobre a nossa prima, a Vera. De fato, nossa integração- mais do que nunca – aio nosso próprio meio devem ou deveriam fazer parte do currículo escolar’. Nós, detentores da maior floresta do mundo devemos desenvolver habilidades para fazer um mundo melhor. Gosto muito de Avatar, uma visão de mundo assim como compactuo com um dos Kennedys, não sei qual, ao afirmar: o mal do mundo eh que ele se divide em países…algo assim. Déborah… bom te ver. Tamo junto, Força Sempre.

Deixe um comentário para bea Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.