Você sabe como doar para quem sofreu com as últimas chuvas?
Atitude Bemglô

Você sabe como doar para quem sofreu com as últimas chuvas?

Você sabe como doar para quem sofreu com as últimas chuvas?

Verão é tempo de chuvas, o que aliado a negligência, coloca milhares de brasileiros em risco. São 26.606 desabrigados, 60.099 desalojados, 2 desaparecidos, 26 mortos e 521 feridos. O número total de atingidos é de 850.445 pessoas na Bahia em 177 municípios afetados. Em Minas Gerais, o número de cidades em situação de emergência subiu para 145, segundo o balanço divulgado pela Defesa Civil do estado na manhã de segunda-feira (10). Ao todo são 3.409 desabrigados e 13.734 pessoas desalojadas em Minas em todo o período chuvoso.

As áreas mais atingidas e suscetíveis a deslizamentos e inundações, são aquelas mais abandonadas. Essas áreas, não por culpa de seus moradores, mas pela falta de infraestrutura oferecida pelos governantes, são áreas ecologicamente frágeis, sem estruturas de escoamento hídrico.  

O atual ciclo de chuvas que atinge drasticamente vários Estados do Brasil, em Minas Gerais, se une com um fator extra: há centenas de barragens de mineração com potencial de graves incidentes ambientais. Muitas dessas barragens estão em condição precária, pois não é tão lucrativo a segurança das cidades que estão em torno dos empreendimentos minerários.

Um dique da Mina Pau Branco, da Vallourec, transbordou na manhã deste sábado (8) em Nova Lima (MG), deixando todos que moram nas proximidades assustados com a possibilidade de novos desastres como os ocorridos em Brumadinho e Mariana. Desde domingo (9), a população que vive abaixo da estrutura da barragem Carioca, da Usina Hidrelétrica Santanense, em Pará de Minas (MG), foi evacuada de suas casas devido ao risco de rompimento. 

E como fica toda essa população atingida pelas enchentes, enxurradas e que estão ameaçadas pelos rompimentos de barragens? São muitas pessoas e em diversos locais que estão precisando de ajuda.

Então hoje vamos focar em contribuir nessa recuperação, tudo bem?

  • O Governo de Minas Gerais está realizando uma campanha de arrecadação de donativos para cidades e pessoas afetadas em todo o estado. Os pontos de coleta estão recebendo água, alimentos não perecíveis, cobertores, colchões, itens de higiene pessoal e materiais de limpeza. Enfim, itens básicos de sobrevivência. Se você estiver em Belo Horizonte, os pontos são os batalhões, quartéis e bases comunitárias da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, nas delegacias da Polícia Civil e em um posto de coleta do Serviço Social Autônomo (Servas), na Avenida Cristóvão Colombo, 683, Funcionários, Belo Horizonte.

  • A Cruz Vermelha também está nessa frente de arrecadação de doações para os atingidos em Minas. Alimentos não perecíveis, itens de higiene pessoal, materiais de limpeza e água podem ser entregues na Alameda Ezequiel Dias, 427, Santa Efigênia, Belo Horizonte. Caso você more fora de BH e queira ajudar, a instituição aceita contribuições em dinheiro por meio do PIX [email protected].
  • O Governo da Bahia também se mobilizou por mais donativos. Confira os dados para doação:

BA Estado Solidário
Banco do Brasil
Agência: 3832-6
Conta: 993.602-5
PIX: CNPJ da Sudec – Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado: 13.420.302/0001-60

  • Nessa frente há muitas organizações populares trabalhando dia e noite para diminuir os danos causados pela chuva, como a Central Única das Favelas (CUFA), está fazendo uma campanha forte em seu Instagram recolhendo doações que são e serão revertidas em alimentos, itens de higiene e todo tipo de produto que possa ajudar as milhares de pessoas afetadas.

Para doar
Pix: [email protected]
Site: https://www.maesdafavela.com.br/doar

Um alerta: existem muitos PIX falsos rolando. Vamos pesquisar certinho para somar com quem realmente precisa!

A saída sempre é se organizar, se informar e agir.

Se você está longe dessas áreas de risco, a salvo e quer ajudar, doe! Compartilhe esses projetos e outros. Repasse as informações verdadeiras de instituições sérias para que a gente consiga diminuir os impactos que a desigualdade causa no nosso país.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.