Queer Museu chega ao Rio de Janeiro
Atitude Bemglô

Queer Museu chega ao Rio de Janeiro

Queer Museu chega ao Rio de Janeiro

No último dia 18, a Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV), zona sul do Rio de Janeiro, abriu suas portas para uma exposição que gerou muito debate desde sua estreia em Porto Alegre em setembro de 2017: a Queer Museu – Cartografias da diferença na arte brasileira. Com obras que percorrem desde meados do século XX à atualidade, a mostra reúne 85 artistas para debater expressão e identidade de gênero.

Com curadoria de Gaudêncio Fidelis, a exposição sofreu intensa censura imediato à sua estreia no Santander Cultural gaúcho, vítima de uma campanha difamatória pelas redes sociais sob acusação de apologia à pornografia e desrespeito à figura religiosa, dentre outros, culminando em seu cancelamento naquele espaço. Todas as acusações foram desmentidas pelo Ministério Público Federal, órgão este que recomendou a sua reabertura, o que não ocorreu. O mesmo pensamento conservador foi responsável pela também censura no Rio de Janeiro, a mostra fora cogitada para Museu de Arte do Rio (MAR) mas vetada pelo prefeito do município.

A proposta do Queer Museu

Para além de todo o desconhecimento, o Queer Museu tem a única pretensão de abordar a diversidade na arte brasileira, debater os sentidos do patriarcado, e incentivar o pensamento sobre o diferente: “A diferença é um dos fundamentos do queer, termo de origem pejorativa que teve seu significado transformado nos anos 1980 na luta por direitos civis e movimentos LGBTQIA+. Desde então, queer passou a designar a diversidade e o direito a uma existência fora da norma”.

Este pensamento (o da diferença,diversidade e inclusão), é o pano de fundo para as 264 obras reunidas no trabalho. Nomes como Adriana Varejão, Alfredo Volpi, Bia Leite, Cândido Portnari, Cibelle Cavalli Bastos, Leonilson, Lygia Clark, Pedro Américo, Roberto Cidade e Sidney Amaral constróem a coleção da mostra, que em meio a tanto extremismo tornou-se símbolo de resistência.

Até chegar ao momento de sua enfim estreia em solo carioca, foi necessário um intenso movimento que resultou no maior financiamento coletivo do país. Foram arrecadados mais de 1 milhão de reais a partir de exatos 1.659 colaboradores. A campanha contou ainda diversas ações, como o Levante Queer, evento com mais de 2 mil pessoas no parque em fevereiro e março deste ano, e um show de Caetano Veloso contra a censura no mesmo mês. Para o curador, “reabrir Queermuseu é reparar, em parte, o dano causado ao patrimônio cultural e artístico brasileiro, ocasionado pelo seu fechamento precoce e autoritário e o processo difamatório que se seguiu. A reabertura é também um ato político contra a censura e em favor da liberdade de expressão e de escolha”.

Público lota Parque Lage na abertura da Queermuseu (Imagem: Lu Lacerda)

Novo fôlego para o Queer Museu

Até o dia 16 de setembro, durante todos os sete dias da semana, será possível visitar a exposição nas Cavalariças da EAV. Em paralelo à mostra, a Escola promoverá o Fórum Queermuseu, com mesas públicas às terças, quintas e sábados para debater intolerância, fake news, gênero, orientações sexuais e as manifestações culturais periféricas. Além de apresentações musicais e performances artísticas durante os 30 dias em que seguirá em cartaz.

Vale ressaltar que todas as atividades da programação tem caráter livre, tendo um dia de estreia de sucesso na capital carioca, com público recorde deixando para trás o fantasma da censura, ainda que sob protestos religiosos. Atividades como esta, que promovem o acolhimento, o respeito e a beleza da diversidade são essenciais para o enriquecimento de nossa visão de mundo e concepções políticas, principalmente em tempos nossos debates estão sendo cada vez mais cerceados. Pois, como finaliza Gaudêncio,o Queermuseu “é uma exposição fundada na democracia e na visão de um processo de inclusão”.

Anote na agenda:

Queermuseu:

Cartografias da Diferença na Arte Brasileira
18/08 a 16/09
Escola de Artes Visuais do Parque Lage
Rua Jardim Botânico, 414
http://eavparquelage.rj.gov.br/

Horários de visitação:
Seg a sex, das 12h às 20h
Sáb, dom e feriados, das 10h às 17h.

 

 

COLAR BOTÂNICA BORDADO À MÃO
COLAR BOTÂNICA BORDADO À MÃO

Comprar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Selecione sua moeda
EUREuro
Abrir Chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos te ajudar?